CLIQUE AQUI para conhecer a história do símbolo da Engenharia Agronômica


Previsão do Tempo
Veja a Previsão do Tempo


EMBRAPAS no Brasil


ARTIGOS E OPINIÕES

SISTEMA ESTADUAL DE SEMENTES E MUDAS


*AVELAR DAMASCENO AMORIM


Agricultura começou quando o homem descobriu a função geratriz da semente, há uns 10.000 anos. Desde então a semente tem continuado a ser um elemento primordial na agricultura, pois contém todas as potencialidades da planta. A maioria das práticas e insumos usados na produção agrícola tem sido desenvolvida fundamentalmente para permitir a completa expressão do potencial genético e fisiológico das sementes. De maneira oposta nenhuma prática agrícola, como a adubação, tratos culturais, irrigação etc., pode melhorar a produção além dos limites impostos pela semente. A produção pode ser inferior a capacidade da semente, mas nunca superior. 

As sementes são o mecanismo da propagação das plantas através do tempo e espaço e, em nossos dias, o único método prático de transmitir às sucessivas gerações os melhoramentos genéticos introduzidos pelos geneticistas em pequenas populações de novas cultivares.O reconhecimento e compreensão da função primordial e catalítica da semente são fatores decisivos à formulação de uma estratégia efetiva para o desenvolvimento rural.

A orientação e produtividade da agricultura de um Estado estão estreitamento ligadas a disponibilidade e uso de sementes e mudas de boa qualidade. Nenhuma bacia hidrográfica do Estado do Piauí, pode hoje em dia, desenvolver a produção de grãos e fruticultura, com orientação de mercado, sem um sistema efetivo de abastecimento de sementes e mudas melhoradas. 

O problema principal no Estado do Piauí é a falta de entendimento completo de como organizar um sistema de produção e distribuição de sementes e mudas melhoradas. A falta de um conceito exato do que é um programa de sementes e mudas, dificulta o gerenciamento integrado e participativo, gerando outros problemas resultantes diretos e indiretos desta incompreensão. No Piauí, a compra e distribuição de sementes e mudas de baixa qualidade ou de grãos são práticas ainda desenvolvidas pelo governo, pelos municípios, cooperativas, sindicatos, associações, etc; enquanto outras são esquecidas, mal coordenadas e às vezes completamente descoordenadas. No Piauí, tem-se procurado implantar o sistema, sem dar a devida atenção, aos requisitos essenciais para a formação de um modelo de gestão para o setor de sementes e mudas.

A implementação de uma política de produção de sementes e mudas melhoradas, com mudanças significativas, implica na elaboração de uma base legal "Lei de Sementes e Mudas Melhoradas", onde institui um sistema com participação efetiva de uma entidade certificadora, de um órgão responsável pela fiscalização do comércio, da produção e de uma Comissão Estadual de Sementes e Mudas, com as seguintes funções: consultiva e de assessoramento. Também, implica em substanciais mudanças no comportamento institucional, para isso, é necessário o desenvolvimento de um modelo institucional em gerenciamento da produção e comercialização de sementes e mudas melhoradas, consistente com a realidade do estado e harmônico com os demais segmentos da agricultura piauiense.

_____________________
* Engenheiro Agrônomo. M. Sc. Presidente da Associação de 
Engenheiros Agrônomos e da Comissão Estadual de Sementes e 
Mudas do Piauí.

 
1

CADASTRE SEU E-MAIL

 
 
 
 
   
 

Site do Ministério da Agricultura

Portal do Governo do Estado do Piauí

 

Site do CONFEA

CREAS no Brasil

Site do CCA/UFPI

[Hide Window]
This page is an archived page courtesy of the geocities archive project 
Report this page